quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O que é o Natal e seus significados

significado do Natal é o nascimento de Jesus Cristo e sua comemoração anual, que acontece há mais de 1600 anos no dia 25 de dezembro.

Natal se refere a nascimento ou ao local onde alguma pessoa nasceu. Por exemplo, a expressão "cidade natal" indica a cidade onde um determinado indivíduo nasceu. A palavra "natal" significa "do nascimento".

Origem do Natal

Natal (com inicial maiúscula) é o nome da festa religiosa cristã que celebra o nascimento de Jesus Cristo, a figura central do Cristianismo. O dia de Natal, 25 de dezembro, foi estipulado pela Igreja Católica no ano de 350 através do Papa Julio I, sendo mais tarde oficializado como feriado.
A Bíblia não diz nada sobre o dia exato em que Jesus nasceu e por isso a comemoração do Natal não fazia parte das tradições cristãs no início. O Natal começou a ser celebrado para substituir a festa pagã da Saturnália, que por tradição acontecia entre 17 e 25 de dezembro. A comemoração do Natal em substituição dessa celebração foi uma tentativa de facilitar a aceitação do cristianismo entre os pagãos.
Apesar disso, alguns estudiosos afirmam que Jesus terá nascido em Abril, e que a data foi instituído pela Imperador Romano Constantino para agradar os cristãos.

História do Natal

A história do Natal está descrita na Bíblia, nos evangelhos de Mateus e Lucas. De acordo com a história do Natal descrita na Bíblia, Jesus nasceu em Belém, em um estábulo.
 Um dos textos mais conhecidos sobre o Natal se encontra na Bíblia, em Lucas 2:1-14:
Naqueles dias, César Augusto publicou um decreto ordenando o recenseamento de todo o império romano. Este foi o primeiro recenseamento feito quando Quirino era governador da Síria. E todos iam para a sua cidade natal, a fim de alistar-se.
Assim, José também foi da cidade de Nazaré da Galileia para a Judeia, para Belém, cidade de Davi, porque pertencia à casa e à linhagem de Davi. Ele foi a fim de alistar-se, com Maria, que lhe estava prometida em casamento e esperava um filho.
Enquanto estavam lá, chegou o tempo de nascer o bebê, e ela deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria.
Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a noite tomavam conta dos seus rebanhos. E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados.
Mas o anjo lhes disse: "Não tenham medo. Estou trazendo boas-novas de grande alegria para vocês, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor. Isto servirá de sinal para vocês: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura".
De repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus e dizendo:
"Glória a Deus nas alturas,
e paz na terra aos homens
aos quais ele concede
o seu favor".

Significado dos Símbolos de Natal

As comemorações de Natal incluem a presença de diversos símbolos tradicionais como a ceia de Natal, árvore de Natal, o Papai Noel, as músicas, a troca de presentes, o presépio, a iluminação e outras decorações natalinas.

Árvore de Natal

A árvore de Natal é um dos símbolos mais populares, e normalmente é um pinheiro. Há muitas versões sobre a associação da árvore ao Natal. Uma delas é que o formato triangular do pinheiro representaria a Santíssima Trindade. O costume de enfeitar as árvores de Natal surgiu em 1539 em Estrasburgo. Na América Latina, apenas no século XX teve início essa tradição. Atualmente, as árvores são naturais ou artificiais, sendo que estas últimas encontram-se à venda em cores variadas.

Papai Noel

Inspirado na figura de São Nicolau, um bispo do século III, o Papai Noel é responsável por trazer os presentes das crianças no Natal, segundo a tradição.

Estrela de Natal

Simboliza a estrela que guiou os reis magos até o local do nascimento de Jesus, segundo o relato do Evangelho de Mateus, na Bíblia.

Presentes de Natal

Os reis magos deram presentes para Jesus e o bispo Nicolau (que originou Papai Noel) era conhecido por dar presentes. Trocar presentes é uma das tradições de natal mais antigas.

Velas de Natal

Tanto as velas de Natal como as outras iluminações de natal simbolizam Jesus, que afirmou ser "a luz do mundo".
Em termos gerais, o Natal significa paz, alegria, fraternidade e generosidade. Todas as tradições associadas às comemorações natalinas proporcionam um forte aumento das vendas, constituindo a melhor época para os comerciantes.

Fonte:
http://www.significados.com.br/natal/ retirado em 23.12.2015.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Perguntas e respostas sobre drogas

1. O que é DROGA?


Droga é atualmente definida pela medicina como “qualquer substância capaz de modificar a função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento”.
Existem drogas naturais, obtidas por meio de determinadas plantas, animais e alguns minerais, e drogas sintéticas,fabricadas em laboratório, exigindo para isso técnicas especiais. As drogas também podem ser classificadas como lícitasilícitas. Lícitas quando o uso é permitido por lei e aceito pela sociedade; ilícitas quando o uso é proibido por lei.
No senso comum, o termo droga está associado às substâncias proibidas, de uso ilegal e nocivo ao indivíduo, que causam mudanças nas funções, sensações, humor e comportamento da pessoa, como a maconha, a cocaína e o crack. Porém, do ponto de vista da saúde, muitas substâncias lícitas podem ser igualmente ou até mais perigosas, como, por exemplo, o álcool e o tabaco.

2. O que são drogas psicotrópicas?


As drogas psicotrópicas são um tipo específico de droga. Estas, geralmente, têm maior potencial para o uso indevido e abuso, pois atuam sobre nosso cérebro, alterando de alguma maneira nosso psiquismo, podendo deprimir, estimular ou perturbar a atividade do sistema nervoso central (SNC). As pessoas utilizam as drogas psicotrópicas para produzir mudanças nas sensações, no grau de consciência e no estado emocional.
As alterações causadas por essas substâncias variam de acordo com as características do usuário; da droga utilizada e da quantidade ingerida; do efeito esperado da droga; e das circunstâncias em que ela é consumida.

3. O que são drogas DEPRESSORAS do sistema nervoso central?

São drogas que diminuem a atividade mental. Afetam o cérebro fazendo com que funcione de forma mais lenta.


4. O que são drogas ESTIMULANTES do sistema nervoso central?


São drogas que aumentam a atividade mental. Afetam o cérebro fazendo com que funcione de forma mais acelerada.

5. O que são drogas PERTURBADORAS do sistema nervoso central?

São drogas que alteram a percepção e provocam distúrbios no funcionamento do cérebro, fazendo com que ele passe a trabalhar de forma desordenada, numa espécie de delírio. São também conhecidas como drogas alucinógenas.

6. Qual a classificação das drogas mais conhecidas em relação aos seus efeitos no cérebro?


DEPRESSORAS
ESTIMULANTES
PERTURBADORAS
Álcool
Tabaco (nicotina)
Êxtase
Tranquilizantes e ansiolíticos
(benzodiazepínicos)
Cocaína (pasta de coca; merla; crack)
Maconha
Calmantes e sedativos (barbitúricos)
Anfetaminas
Cogumelos psilocibinos
Ópio e derivados (heroína; morfina; codeína)
Êxtase (droga estimulante e perturbadora)
Mescalina (cactos)
Inalantes e solventes

DMT (jurema, caapi, chacrona)


LSD-25 (ácido)

7. O que é compulsão para o consumo de drogas ou “fissura”?

Refere-se à experiência de um desejo incontrolável de consumir a substância. O indivíduo imagina-se incapaz de colocar barreiras a tal desejo e sempre acaba consumindo.

8. O que é tolerância à droga?

É a necessidade de doses cada vez maiores da droga para alcançar os efeitos originalmente obtidos com doses maisbaixas. Isso ocorre porque o organismo se habitua e se adapta à presença da droga no corpo.

9. O que é síndrome de abstinência?

É o surgimento de sinais e sintomas físicos desagradáveis de intensidades variáveis que aparecem quando o usuário para ou reduz abruptamente o consumo da droga.

10. O que é dependência?

É quando a pessoa não consegue parar de consumir a droga, porque o organismo acostumou-se com a substância e sua ausência provoca sintomas físicos aversivos (síndrome da abstinência), ou porque a pessoa acostumou-se a viver sob os efeitos da droga, sentindo um grande impulso de usá-la com frequência (fissura).
Existem duas formas principais em que a dependência se apresenta: a física e a psicológica.
·                 Dependência física: caracteriza-se pela presença de sintomas e sinais físicos que aparecem quando o indivíduo para de tomar a droga ou diminui bruscamente o seu uso, ou seja, quando o indivíduo apresenta a síndrome de abstinência. Os sinais e sintomas de abstinência dependem do tipo de substância utilizada e aparecem algumas horas ou dias depois que ela foi consumida pela última vez.
·                 Dependência psicológica: corresponde a um estado de mal-estar e desconforto que surge quando o dependente interrompe o uso da droga. Os sintomas mais comuns são: busca compulsiva pela droga ou fissura; ansiedade; sensação de vazio; e dificuldade de concentração.

11. Por que as pessoas fazem uso ou experimentam drogas que trazem prejuízos a sua saúde?

O interesse da pessoa que se droga geralmente é a busca pelo prazer ou a fuga de seus problemas. As pessoas se drogam porque desfrutam de uma sensação passageira de bem estar dada pela droga psicoativa.
Quase todas as drogas psicotrópicas induzem a liberação em maior ou menor grau dos neurotransmissores que atuam nos locais do cérebro que geram sensações de prazer, como, por exemplo, a serotonina e a dopamina. O problema é que a sensação passageira de prazer é seguida da necessidade de mais prazer, pois há um desequilíbrio neuroquímico induzido, causando a dependência psicológica e/ou física.
Depois de estabelecida a dependência, a saúde da pessoa, aliás, tudo fica em segundo plano. A necessidade de consumir a droga se torna a prioridade na vida da pessoa. Por isso a prevenção do uso de drogas é de suma importância.

12. Quais os efeitos do uso indevido do álcool?


ÁLCOOL (Etanol)
Exemplos: cerveja, vinho, uísque, vodca, licor, etc.
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Diminuição da ansiedade
-      Redução da tensão muscular
-      Desinibição psicológica
-      Indução do sono
-      Falta de coordenação motora
-      Desequilíbrio
-      Propensão a comportamentos de risco
-      Baixa da pressão arterial
-      Diminuição dos batimentos cardíacos
-      Possível parada respiratória
-      Coma alcoólico
-      Morte
-        Cânceres
-        Doenças cardiovasculares
-        Impotência ou frigidez sexual
-        Amnésia
-        Diplopia (visão dupla)
-        Doenças do fígado (cirrose hepática)
-        Labilidade emocional (mudanças bruscas de humor e instabilidade emocional)
-        Agressividade
-        Demência irreversível devido à destruição de células cerebrais
-        Morte

13. Quais os efeitos do uso indevido dos ansiolíticos e tranquilizantes?


ANSIOLÍTICOS E TRANQUILIZANTES
Exemplos: diazepam, bromazepam, clobazam, clorazepam, estazolam, flurazepam, flunitrazepam, lorazepam, nitrazepam, buspirona, etc.
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Diminuição da ansiedade
-      Redução da tensão muscular
-      Desinibição psicológica
-      Indução do sono
-      Redução do estado de alerta
-      Falta de coordenação motora
-      Diminuição da capacidade de concentração
-      Baixa da pressão arterial
-      Diminuição dos batimentos cardíacos
-      Possível parada respiratória
-      Coma
-      Morte
-        Emagrecimento
-        Aumento da ansiedade
-        Irritabilidade
-        Agressividade
-        Labilidade emocional (mudanças bruscas no humor e instabilidade emocional)
-        Depressão com risco de suicídio
-        Morte

14. Quais os efeitos do uso indevido do ópio e seus derivados, como a heroína?


ÓPIO E DERIVADOS
Exemplos: morfina, codeína, meperidina ou petidina, propoxifeno, fentanil, heroína, etc.
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Eliminação da dor
-      Indução do sono
-      Diminuição da ansiedade
-      Sensação de isolamento da realidade do mundo
-      Sensação de sonhar acordado
-      Diminuição das emoções e paixões
-      Euforia momentânea
-      Cólicas abdominais
-       Confusão mental
-       Convulsões
-       Parada respiratória
-       Morte
-        Emagrecimento
-        Desnutrição
-        Anorexia
-        Movimento intestinal lento
-        Impotência ou frigidez sexual
-        Colapsos das veias
-        Infecção na membrana e nas válvulas do coração
-        Abscessos
-        Doenças no fígado
-        Doenças nos rins
-        Esterilidade
-        Demência
-        Possibilidade de contágio de doenças infecciosas (hepatite, HIV/Aids, etc. quando a administração é endovenosa)
-        Morte

15. Quais os efeitos do uso indevido dos inalantes e solventes?


INALANTES E SOLVENTES
Exemplos:
ü Solventes voláteis: tolueno, cloreto de metila, acetato de etila, tetracloroetileno (encontrados em spraysdiversos, tintas, removedores de manchas, líquido para correção de texto, desengraxantes, colas, cimento de borracha);
ü Combustíveis: butano e propano (encontrados nos isqueiros, gasolina, propulsores de carros de corrida);
ü Anestésicos: éter, cloreto de etila, halotano (lança-perfume, loló);
ü Óxido nitroso (encontrado no gás hilariante, anestésicos, aerossóis);
ü Voláteis nitritos de áquila, ciclohexil, nitrito de butila, álcool isopropílico, nitrito isobutil (encontrados em limpadores de cabeçote, purificadores de ar e odorizadores de ambiente).
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Diminuição da ansiedade
-      Redução da tensão muscular
-      Promoção da desinibição psicológica
-      Indução do sono
-       Falta de coordenação motora
-       Sintomas de embriaguez
-      Náusea e vômitos
-       Alucinações
-       Diplopia (visão dupla)
-       Parada respiratória
-       Coma
-       Morte
-        Doenças graves do fígado
-        Doenças graves dos rins
-        Doenças do sangue (leucemias)
-        Demência irreversível devido à destruição de células cerebrais
-        Perda da audição
-        Espasmos dos braços e das pernas
-        Danos ao sistema nervoso central, ao cérebro e à medula óssea
-        Morte


16. Quais os efeitos do uso indevido do tabaco (nicotina)?


TABACO (NICOTINA)
Exemplos: cigarros, charutos, cachimbos, rapé, fumo de corda
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Diminuição da ansiedade
-      Relaxamento psicológico
-      Aumento da concentração
-       Aumento dos batimentos cardíacos
-       Hipertensão arterial
-       Tosse
-       Problemas cardíacos e vasculares graves
-        Doenças pulmonares (enfisema, bronquite crônica, pneumonia)
-        Cânceres de vários tipos (em especial do pulmão, oral, do esôfago, leucemia...)
-        Doenças vasculares (enfarte do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, aneurismas)
-        Gangrena dos membros
-        Impotência sexual
-        Cataratas
-        Morte

17. Quais os efeitos do uso da cocaína?


COCAÍNA
Exemplos:
ü  Cloridrato de cocaína: conhecido também como “pó”, “farinha”, “neve” ou “branquinha”.
ü  Merla: conhecido também como “mela”, “mel” ou “melado”.
ü  Crackchamada popularmente de “pedra”.
ü  Pasta de coca: fumada em cigarros chamados “basukos”.
ü  Chá de coca
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Euforia e energia momentânea
-      Aumento momentâneo da concentração e memorização
-      Diminuição do cansaço e do sono
-      Diminuição da fome e da sede
-      Diminuição da sensação de frio
-      Aumento dos comportamentos de risco
-      Paranoia
-       Agressividade
-      Delírios e alucinações
-      Irritabilidade
-      Tremores
-      Morte
-        Perfuração do septo nasal
-        Doenças pulmonares (enfisema, irritação dos brônquios, pneumonia)
-        Cânceres
-        Doenças vasculares (enfarte do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, aneurismas)
-        Degeneração irreversível dos músculos esqueléticos
-        Prejuízo da visão
-        Contágio de doenças infecciosas (HIV/Aids, hepatite, outras doenças sexualmente transmissíveis, etc.)
-        Lesões cerebrais
-        Desenvolvimento de doenças psiquiátricas graves
-        Morte

18. Quais os efeitos do uso indevido das anfetaminas?


ANFETAMINAS
Exemplos: dietilpropiona ou anfepramona, fenproporex, mazindol, metanfetamina, metilfenidato, etc.
Também conhecidas como “rebites” ou “bola”
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Euforia e energia momentânea
-      Aumento momentâneo da concentração e memorização
-      Aumento da força muscular
-      Diminuição do cansaço e do sono
-      Diminuição da fome e da sede
-      Boca seca
-       Sudorese
-       Hipertensão arterial
-       Arritmias cardíacas
-       Irritabilidade
-       Agressividade
-       Tremores
-       Convulsões
-       Insônia
-       Ansiedade
-       Morte
-        Emagrecimento
-        Irritabilidade
-        Delírios paranoides (sensação de estar sendo perseguido)
-        Psicose anfetamínica
-        Doenças vasculares (enfarte do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, aneurismas)
-        Prejuízo da visão
-        Doenças endócrinas
-        Degeneração das células do cérebro
-        Morte








19. Quais os efeitos do uso do êxtase (MDMA)?


Êxtase (MDMA)
Exemplos de nomes populares: A, E, I X, XTC e ADAM.
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Euforia e energia
-      Calor emocional e empatia com os outros
-      Distorções sensoriais e temporais
-      Hipersensibilidade dos sentidos
-      Diminuição do cansaço
-      Tensão muscular
-       Ranger dos dentes
-       Hipertensão arterial
-      Hipertermia (Aumento da temperatura corporal )
-      Exaustão
-       Desidratação
-       Problemas cardíacos
-       Problemas renais
-      Morte
-        Confusão mental
-        Distúrbios do sono
-        Depressão profunda com tendência suicida
-        Doenças vasculares (enfarte do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, aneurismas)
-        Prejuízo da visão
-        Ocorrência de flashbacks (revivências das experiências durante o uso, podendo ocorrer anos depois do consumo)
-        Risco aumentado de contagio de doenças sexualmente transmissíveis (hepatite, HIV/Aids, etc.)
-        Morte




20. Quais os efeitos do uso da Maconha (THC)?


MACONHA (THC)
Exemplos de nomes populares: cannabismarijuanabanghganjadiamba, erva, entre outros.
Versões mais concentradas da maconha são: o haxixe, e o óleo de hash.
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Diminuição da ansiedade
-      Sensação de bem-estar momentânea
-      Desinibição psicológica
-      Vontade de rir
-      Aumento da capacidade de fantasiar
-      Percepção da realidade mais intensa (cores e sons mais distintos)
-      Sono
-      Fome (larica)
-      Boca seca
-      Dificuldade em pensar e resolver problemas
-      Comprometimento do aprendizado
-      Distorção perceptual
-      Falta de coordenação motora
-       Reações de ansiedade e pânico intenso (paradoxalmente, em fumantes experientes)
-       Agressividade
-       Alucinações
-      Morte
-        Desencadeamento de doença mental (psicose, esquizofrenia, depressão) em indivíduos com predisposição.
-        Síndrome "amotivacional" (falta de motivação para tudo)
-        Doenças cardiológicas (enfarte do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, aneurismas)
-        Doenças pulmonares
-        Diminuição da testosterona (infertilidade)
-        Cânceres
-        Perda da memória
-        Morte





21. Quais os efeitos do uso dos alucinógenos (plantas, cogumelos, LSD-25)?


ALUCINÓGENOS
Exemplos: Cogumelos psilocibinos, jurema, mescal ou peyot, Caapi, chacrona, LSD-25, etc.
EFEITOS IMEDIATOS
EFEITOS DO USO CONTINUADO
-      Distorção dos sentidos
-      Forte intensificação das percepções sensoriais
-      Sinestesia (transferências das impressões de um sentido para outro, como ouvir cores e ver sons)
-      Ocorrência de “má viagem” onde o usuário tem sensação intensa de pânico e delírios paranoides
-      As reações descontroladas da “má viagem” podem provocar acidentes fatais
-      Mudanças bruscas e intensas das emoções
-      Movimentos descoordenados
-       Dilatação extrema da pupila
-      Náusea, vômitos e tontura
-      Aumento da temperatura corporal
-      Aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial
-      Sudorese excessiva
-       Perda de apetite
-      Sonolência
-      Boca seca
-      Tremores
-      Morte
-        Desenvolvimento de crises psicóticas com delírios e alucinações
-        Flashbacks (revivências das experiências durante o uso, podendo ocorrer anos depois do consumo)
-        Desencadeamento de doenças mentais (psicose, esquizofrenia, depressão) em indivíduos com predisposição
-        Problemas de memória
-        Intoxicação, podendo levar a problemas cardíacos e neurológicos irreversíveis
-        Morte








22. Quais são as ações preventivas possíveis para o uso indevido de drogas?

As ações preventivas são intervenções orientadas a evitar o surgimento de doenças, reduzindo sua incidência e prevalência nas populações. As ações baseiam-se no conhecimento das causas das doenças, do número de pessoas que ela atinge na população e das consequências específicas das doenças na vida dos indivíduos.
Quando falamos em prevenir o abuso de drogas, nos referimos a tudo o que pode ser feito para evitar, impedir, retardar, reduzir ou minimizar o uso, abuso ou a dependência das substâncias e os prejuízos que estas poderão produzir.
As ações possíveis começam com a prevenção de ocorrência de novos casos de uso abusivo ou até mesmo do primeiro uso, usando intervenções como: divulgação de informações e a criação e o fortalecimento dos fatores de proteção, que tem como foco incentivar os hábitos saudáveis; oferecer alternativas esportivas e culturais; modificar o ambiente no qual o usuário de drogas está inserido; enriquecer as condições e práticas educacionais, etc.
Outro nível de ação procura evitar a ocorrência de complicações para as pessoas que já fazem uso indevido de drogas. Essas ações buscam sensibilizar as pessoas a respeito dos riscos, favorecendo a mudança de comportamento através do aprendizado de novas atitudes e escolhas mais responsáveis. Além disso, existem as intervenções que procuram evitar prejuízos adicionais e/ou reintegrar à sociedade os indivíduos com problemas sérios. Estas buscam melhorar a qualidade de vida dos usuários junto à família, ao trabalho e à comunidade de uma forma geral e envolvem identificar e cuidar de casos emergenciais (como a síndrome de abstinência, a overdose, as tentativas de suicídio, etc.), assim como a assistência aos pacientes portadores de problemas que necessitam encaminhamento (hepatite, Aids, cirrose, entre outros).

23. Quais os principais fatores de proteção para prevenir o uso indevido de drogas?

Os fatores de proteção referem-se a tudo aquilo que diminui a probabilidade do uso indevido de drogas. Por exemplo:
·                 Existência de um projeto de vida com metas realistas;
·                 Valores morais sólidos;
·                 Religiosidade;
·                 Modelos sociais que promovam a saúde;
·                 Família estruturada;
·                 Satisfação no trabalho;
·                 Informações adequadas sobre as drogas e seus efeitos no organismo;
·                 Bom suporte social;
·                 Prática de atividade esportiva;
·                 Vida pessoal enriquecida com atividades culturais e de lazer.

24. Quais os principais fatores de risco para o uso indevido de drogas?

Os fatores de risco são circunstâncias e características pessoais, ambientais ou relacionadas à droga, que aumentam a probabilidade de o indivíduo fazer uso indevido dela. Como por exemplo:
·                 Presença de transtornos mentais como depressão e ansiedade;
·                 Facilidade de acesso à droga;
·                 Baixo poder aquisitivo;
·                 Modelos sociais que aprovam ou incentivam o uso de drogas;
·                 Influência de grupos;
·                 Falta de informações adequadas sobre as drogas e seus efeitos;
·                 Violência doméstica;
·                 Estímulo ao uso pela mídia por meio de publicidade (no caso das drogas lícitas).

25. Deve-se falar sobre drogas com criança novas?

Alguns pais bem intencionados procuram conversar com seus filhos sobre drogas desde cedo, por volta dos seis a nove anos de idade, porém  escolhem momentos inadequados para terem conversas sobre os perigos da maconha, cocaína ecrack, o que deixa as crianças entediadas, além de esquecerem, em poucas horas, o que foi dito.
A ideia está correta de que a prevenção deve começar cedo, o problema está no momento adequado para abordar esses assuntos e na sintonia ente a conversa e a realidade imediata das crianças. Um exemplo de uma conversa mais eficaz seria falar sobre drogas lícitas, focando nos riscos do uso de substâncias químicas como remédios, cigarros, produtos de limpeza e bebidas alcoólicas por se tratarem de produtos próximos ao universo da criança.

26. Quais os principais fatores que levam um adolescente ao uso indevido de drogas?

Quando falamos em adolescentes e drogas, torna-se relevante o questionamento sobre os motivos que levam um jovem a se drogar e outro não, mesmo que ambos tenham sido orientados e acompanhados desde cedo sobre este assunto. Vários fatores estão envolvidos neste processo e não se sabe se existe um fator mais importante que o outro. O que se sabe é que o trabalho preventivo dos pais é muito mais eficiente do que buscar tratamento após o problema estiver instalado.
Segundo Tania Zagury em seu livro “O Adolescente por Ele Mesmo”, os principais fatores que influenciam no uso de drogas são:
1.              Características Pessoais – as características individuais influenciam a maneira pela qual cada um percebe e interpreta os acontecimentos a sua volta; isto acontece em qualquer etapa da vida, seja na infância, na adolescência ou na vida adulta. A forma de solucionar os problemas é diferente para cada pessoa: algumas preferem brigar e tentar encontrar uma solução, enquanto outras buscam fugir da situação, muitas vezes se refugiando no uso de substâncias que as ajudarão e se alienarem do problema, como as drogas.

1.              O meio em que vive – ações positivas dentro da família podem minimizar as características negativas ou aperfeiçoar as potencialidades de cada indivíduo; em contrapartida, ações negativas podem levar a problemas sérios, principalmente na adolescência, onde o jovem é muito influenciado pelo grupo social. Quanto mais cedo o jovem for levado a assumir  responsabilidades, a cooperar, a ser solidário, a ter objetivos de vida e a ser independente, maiores as chances de ele tornar-se uma pessoa íntegra e produtiva. Adolescentes precisam deengajamento e objetivos. A inércia, a ociosidade e a certeza que terão tudo o que querem sem esforço próprio é o caminho mais rápido para o desânimo e o adoecimento.

1.              O grupo, a escola e os locais que frequenta - o grupo ganha uma importância muito grande na adolescência. Entretanto, o jovem que experimentou relações familiares harmoniosas sofrerá menos influência do grupo. Ele pode até experimentar um cigarro de maconha ou uma droga mais pesada em uma festa (o que não é incomum), mas não passará disso, pois terá condições de dizer não sem medo de ser criticado ou excluído pelo grupo. Em relação à escola, sabe-se que quanto maior o nível educacional da pessoa, maior será seu conhecimento, sua consciência e seu senso crítico sobre as situações que lhes são favoráveis ou não.

27. Como saber se seu filho(a) usa drogas?

Os pais interessados e participativos na vida de seus filhos têm mais chances de identificar os sinais de mudanças em seus comportamentos. Segundo Tiba (1996), alguns sinais de mudança no comportamento dos filhos merecem uma maior atenção dos pais:
-  Irritabilidade;
-  Agressividade;
-  Falta de motivação para os estudos e/ou trabalho;
-  Troca do dia pela noite;
-  Insônia;
-  Falta de motivação para atividades de lazer;
-  Vermelhidão nos olhos;
-  Desaparecimento de objetos ou dinheiro dentro de casa.
A presença de vários desses sinais por um tempo relativamente prolongado (em média a partir de um mês) pode significar que algum problema está acontecendo; o fim de um relacionamento amoroso, uma doença e/ou o uso de drogas.

28. O que fazer e o que não fazer quando o filho(a) está usando drogas?


O QUE FAZER
O QUE NÃO FAZER
Procurar manter a calma.
Desesperar e assumir atitudes que comprometam mais a situação.
Conversar sobre o assunto com calma, afeto e compreensão.
Agressões físicas e verbais.
Tentar fazer com que seu filho lhe conte o que esta acontecendo.
Violar, de forma arbitrária, a privacidade do filho.
Estar preparado para ouvir os motivos que levaram seu filho a usar drogas. Você pode estar envolvido no problema.
Negar a existência do problema.
Buscar soluções em conjunto com seu filho.
Fazer proibições absurdas como segui-lo, proibi-lo de sair de casa e de ver os amigos, trancá-lo no quarto, tirá-lo da escola.
Lembrar que o uso de drogas por um período, não significa dependência.
Acreditar que por ter feito uso de drogas algumas vezes, seu filho é dependente.
Ter vontade real de ajudar e entender a situação
Não conversar sobre o assunto com seu filho.

29. Como lidar com a mentira do adolescente?

Uma mentira inicial pode levar a outras para manter a primeira. A melhor maneira de enfrentar a situação é avaliando a realidade. Ao invés de brigar e colocar de castigo é mais produtivo encontrar a raiz da mentira e descobrir os motivos que levaram a sua existência. Em casos onde mentir tornou-se um hábito, a ajuda de um profissional pode ser necessária.

30. Qual a melhor maneira de lidar com a contestação do adolescente?

No geral, o ser humano é um ser social que gosta de conviver pacificamente mais do que contestar. Por natureza, a criança quer agradar os pais. Se a contestação começa desde cedo é preciso ficar atento e procurar ajuda.
Alguns tipos de contestação:
·                 Reação a uma infância com regras muito rígidas, sentindo-se mais forte que os pais, enfrentando-os;
·                 Acúmulo de mágoas, ressentimentos, ideias que não foram expressas saindo de forma explosiva;
·                 Fazer parte do grupo de amigos passa a ser mais importantes do que a companhia dos pais;
·                 Rebeldia dos jovens quando se sentem tratados como crianças;
·                 Se os comportamentos de contestação permanecem, provavelmente estão sendo reforçados. É importante pensar como isso está acontecendo;
·                 Agressividade, impulsividade, irritabilidade e comportamento defensivo em decorrência dos efeitos dos hormônios.

31. Que conduta tomar com filhos adolescentes que estão sempre “fechados” e que nunca dão abertura ao diálogo?

O diálogo sempre será a fonte primordial de melhoria, logo deve ser a ferramenta de escolha para tratar os conflitos. Em situações propícias, (cada família sabe identificar as suas) o adolescente sairá do seu silêncio. Nessa hora é importanteouvi-lo com atenção, evitando julgamentos e cobranças.

32. Como separar o filho das “más companhias”?

Chega certa idade em que os amigos tornam-se mais importantes para o jovem do que os pais. Mesmo que você não goste dos amigos do seu filho, lembre-se de que ele gosta deles e os escolheu. O melhor a fazer é conhecer os amigos de perto, trazê-los para frequentar sua casa, ser simpático, sem fazer muitos questionamentos sobre suas famílias e hábitos. No entanto, deixe claras as regras da sua casa, como, por exemplo, ser proibido fumar. No dia seguinte, você pode ter uma conversar aberta com o seu filho, esclarecendo suas dúvidas sobre os amigos: se algum deles usa drogas; se já repetiram o ano; como é a relação deles com os pais, etc. Você pode, também, tentar conhecer pessoalmente as famílias dos amigos.  Depois pode falar sobre como se sente com o fato dele andar com essas pessoas.

33. Revistar o quarto do (a) filho(a) atrás de drogas: invasão da privacidade dele(a)?

Existem alguns sinais importantes a serem observados antes de tomar a decisão de revistar o quarto de seu (sua) filho (a), como: alterações de comportamento em casa, trocar a noite pelo dia, perder aula, parar de comer com a família, rejeitar antigos amigos e adquirir novos que se comportam de forma semelhante a ele(a), relaxamento em relação à própria higiene íntima e com as roupas. Esses são indícios de uso de drogas.
Ao revistar o ambiente, saiba que o jovem usuário vai tentar de todas as formas esconder a droga. No caso da maconha, por exemplo, esteja atento para colírios, papel de seda, cachimbinhos, pedaços de maconha prensada ou não, pontas de cigarros de maconha fumados, etc.
O consumo de drogas normalmente é descoberto após anos de uso. A descoberta precoce pode vir a evitar danos futuros, pois com o passar do tempo, o usuário pode acreditar que a maconha (ou outra droga) não faz mal e que ele (a) pode parar a qualquer momento, caracterizando um quadro de vício.
A privacidade deve ser conquistada, se o jovem apresentar comportamentos suspeitos, perderá esse direito. É importante que os pais provem que encontraram as drogas para evitar as mentiras e negações.

34. Como é o tratamento ao dependente de drogas?

O tratamento de toda doença crônica envolve três frentes: a redução de sintomas no usuário (tratamento individual), o acompanhamento aos familiares e ações preventivas na comunidade. Na frente individual, o dependente pode apresentar diversos quadros clínicos e ter a necessidade de ser encaminhado para diferentes serviços de atendimento. Na frente familiar, é de suma importância envolver os familiares no tratamento, pois fazem parte do núcleo vivencial mínimo do paciente e podem contribuir significativamente para minimizar as chances de fracasso. Na frente comunitária, têm-se as importantíssimas ações preventivas e o acolhimento e reinserção do dependente à sociedade.
O indivíduo usuário de drogas não procura tratamento por estar convencido de que é dependente dessas substâncias, mas em decorrência dos problemas e prejuízos que se acumulam ao longo da vida, relacionados ao consumo. As principais causas que levam à busca de tratamento são: complicações médicas (por exemplo, convulsões, depressão ou alucinações decorrentes do consumo) e complicações sociais (perda de emprego, separação conjugal, imposição familiar, sentença judicial, dívidas ou atrasos nos compromissos).

35. Quando é indicada a internação?

A internação não é considerada um tipo de tratamento, mas uma estratégia para promover a abstinência. Sua indicação se dá em casos mais severos, onde é mais seguro para o paciente ficar com sua liberdade restrita. A internação deve, obrigatoriamente, estar vinculada a um seguimento ambulatorial.
São algumas indicações para internação:
-  Paciente com ameaça de suicídio ou comportamento autodestrutivo;
-  Paciente que ativamente ameaça a integridade física dos outros;
-  Paciente com sintomas psiquiátricos graves (psicose, depressão, mania);
-  Presença de complicações clínicas importantes;
-  Necessidade de internação por dependência de outra substância (exemplo: desintoxicação do álcool);
-  Falhas recorrentes na promoção da abstinência em nível ambulatorial;
-  Pacientes que não possuem suporte social algum, ou seja, seus relacionamentos são exclusivamente com outros usuários.

36. Quais seriam algumas orientações para auxiliar o usuário a parar com o uso de drogas?

-  Parar por completo o uso de qualquer tipo de droga. Basta o retorno ao uso de qualquer droga, uma única vez, para possibilitar a reinstalação do quadro de dependência;
-  Afastar-se definitivamente dos antigos companheiros de consumo e dos locais onde costumavam frequentar para fazer o uso, a fim de evitar recaídas;
-   Durante o tratamento, não testar a capacidade de autocontrole no consumo das drogas, o excesso de autoconfiança pode levar à recaída;
-  Ajudar a manter o autocontrole, estabelecendo metas e objetivos que envolvam atividades que substituam as atitudes associadas ao uso das drogas;
-  Rever as metas e objetivos que não estão sendo eficientes para a sua reintegração na sociedade sem o uso de drogas;
-  Mudar seu estilo de vida; estabelecer novos vínculos de amizades; reestabelecer as relações familiares;
-  Buscar soluções junto à equipe de saúde para o alcance e manutenção do sucesso do tratamento;

37. Onde procurar ajuda?

Existem vários serviços que podem ser acionados para conseguir auxílio no tratamento ao dependente de drogas. Seguem alguns contatos:
-  Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas – SENAD - VIVA VOZ - 0800 510 0015 e 132;
-  Oferece orientações e informações sobre a prevenção do uso indevido de drogas.
-  O Governo Federal atende aos dependentes químicos gratuitamente através do CAPS-AD (Centros de Atendimento Psicossociais Álcool e Drogas) que conta com profissionais da saúde como Psicólogos e Psiquiatras fazendo acompanhamento individual, coletivo e familiar. Maiores informações: http://portal.saude.gov.br
-  Existem Clínicas Psiquiátricas que atendem por planos de saúde ou particular, que oferecem tratamento de desintoxicação, acompanhamento psicológico dentre outros tratamentos.
-  Grupos de apoio e autoajuda – oferecem apoio emocional e social ao dependente químico com foco em manter a abstinência.
 -  AA – Alcoólicos Anônimos - http://www.alcoolicosanonimos.org.br/

-  NA – Narcóticos Anônimos - http://www.na.org.br/
-  Nar-Anon: Grupo para familiares de Dependentes Químicos - http://www.naranon.org.br/
-  Amor Exigente - http://www.amorexigente.org.br
 Fonte:

Área de recreação

Área  de recreação

Alunos no laboratório de informática

Alunos no laboratório de informática

Alunos da 5ª C-vesp- no laboratório

Alunos da 5ª C-vesp- no laboratório