sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Teatro para o Dia da Consciência Negra

Confira nesta postagem uma excelente sugestão de “Teatro os meninos de todas as cores” que é um excelente recurso para trabalhar o Dia da Consciência Negra com alunos das series iniciais.

Teatro Os Meninos de todas as cores


Personagens: Narrador, Miguel (Menino Branco), Flor de Lótus (Menina Amarela), Lumumba (Menino Preto), Pena de Águia (Menino Vermelho), Ali-BABÁ (Menino Castanho).

Narrador - Era uma vez um menino branco, chamado Miguel, que vivia numa terra de meninos brancos e dizia:

Miguel (Menino Branco) - É bom ser branco
Porque é branco o açúcar, tão doce,
Porque é branco o leite, tão saboroso,
Porque é branca a neve, tão linda.

Narrador – Mas, certo dia, o menino partiu numa grande viagem e chegou a uma terra onde todos os meninos são amarelos. Arranjou uma amiga chamada Flor de Lótus, que, como todos os meninos amarelos, dizia:

Flor de Lótus (Menina Amarela) – É bom ser amarelo
Porque é amarelo o Sol
É amarelo o girassol
Mais a areia amarela da praia.
Narrador – O menino branco meteu-se num barco para continuar sua viagem e parou numa terra onde todos os meninos são pretos. Fez-se amigo de um pequeno caçador chamado Lumumba, que, como os outros meninos pretos, dizia:

Lumumba (Menino Preto) – É bom ser preto
Como a noite
Preto como as azeitonas
Preto como as estradas que nos levam
Por toda a parte

Narrador – O menino branco entrou depois num avião, que só parou numa terra onde todos os meninos são vermelhos. Escolheu para brincar aos índios um menino chamado Pena de Águia. E o menino vermelho dizia:

Pena de Águia (Menino Vermelho) - É bom ser vermelho Da cor das fogueiras Da cor das cerejas E da cor do sangue bem encarnado.

Narrador - O menino branco foi correndo mundo até uma terra onde todos os meninos são castanhos. Aí fazia corridas de camelo com um menino chamado Ali-Babá, que dizia:

Ali-BABÁ (Menino Castanho) - É bom ser castanho Como a terra do chão Os troncos das árvores. É tão bom ser castanho como um chocolate.

Narrador - Quando o menino branco voltou à sua terra de meninos brancos, dizia:

Miguel (Menino Branco) - É bom ser branco como o açúcar. Amarelo como o Sol Preto como as estradas Vermelho como as fogueiras Castanho da cor do chocolate.

Narrador: Enquanto, na escola, os meninos brancos pintavam em folhas brancas, desenhos de meninos brancos, ele fazia grandes rodas com meninos sorridentes de todas as cores.


Autora: Luisa Ducla Soares

Volta às aulas

Uma atividade legal para aplicar com os alunos do ensino fundamental I